maxresdefault
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Definição, Composição e Formulação de Soluções Nutritivas em Hidroponia

Confira o artigo sobre a definição, composição e formulação de soluções nutritivas em hidroponia, escrito por Nilton Nélio Cometti, et all.

Navegue pelo conteúdo

Definição de Solução Nutritiva

A solução nutritiva é o meio que disponibilizará nutrientes ao crescimento das plantas hidropônicas. Assim, ao se adicionar a água e nutrientes necessários (essenciais) em proporções adequadas às raízes de hortaliça possibilitam-se a um amplo crescimento e desenvolvimento das hortaliças cultivadas em ambiente protegido.

A partir do instante em que a solução nutritiva é colocada em contato com as raízes, transforma-se em uma verdadeira “sopa” nutritiva, além de conter vários compostos orgânicos provenientes da atividade microbiana, em função do acumulo de algas, ácidos orgânicos expelidos pelas raízes e da decomposição de fragmentos das mesmas. Além disso, atualmente, existe uma recomendação de adição de compostos orgânicos nos sistemas hidropônicos, como por exemplo, os aminoácidos, buscando-se melhor resistência e maior crescimento radicular.

Vale ressaltar que no sistema de cultivo sem solo, dois fatores são preponderantes para a produtividade: o ambiente ou o microclima é determinado pelo tipo de proteção, sobretudo a cobertura com filmes plásticos transparentes e telas de sombreamento; e a solução nutritiva, que pode estar livre (Sistema NFT) ou aplicada a um substrato (Hidroponia em substrato). Em condições normais, todos os nutrientes podem ser absorvidos da solução nutritiva pela raiz em quantidades suficientes à demanda da planta.

Composição das Soluções Nutritivas

A composição da solução nutritiva é estudada há muitos anos, com relatos datando de 1865, como a solução de Knopp (RESH, 2002). Entretanto, somente a partir de 1933 houve a preocupação com o preparo de uma solução contendo micronutrientes. Em 1950, Hoagland e Arnon elaboraram uma solução nutritiva completa e balanceada para tomateiro, baseada na composição de plantas cultivadas em vasos com solução nutritiva, a qual é utilizada até os dias atuais, tanto na pesquisa científica quanto em cultivos comerciais, sendo esta considerada como uma solução universal para cultivo de hortaliças de fruto. Por outro lado, é correto e coerente afirmar que não há uma única solução nutritiva que atenda a todas as culturas, uma vez que elas são compostas por diferentes quantidades dos elementos e as plantas requerem estes elementos de forma diferenciada.

Dessa forma, para se formular uma solução adequada, devemos avaliar uma série de fatores, tais como: espécie e estádio fenológico da planta, época do ano (duração do período de luz), fatores ambientais (temperatura, umidade e luminosidade) e parte da planta colhida com interesse comercial. Além de variáveis como: pH, força iônica( ), temperatura e agentes quelantes (Fe-EDTA, por exemplo).

Historicamente, a composição das soluções nutritivas foi evoluindo ao longo do tempo, com diferenças marcantes em relação às concentrações dos macronutrientes e de micronutrientes. Tal fato se deu pela necessidade de produtor de adequação às plantas aos diversos climas e microclimas presentes nas diferentes localidades do Brasil.

De modo geral, a Tabela 4 demonstra a amplitude das faixas de concentração dos nutrientes utilizadas nas soluções nutritivas utilizadas em sistema hidropônico. A diferença entre soluções nutritivas deve ser vista com base na relação entre os nutrientes e não por sua concentração, pois, em uma fórmula mais ou menos concentrada, o efeito tende a ser o mesmo, pois, como será visto mais adiante, uma solução pode ser utilizada para o cultivo em diferentes concentrações e com distintas condutividades elétricas.

Para formular uma solução nutritiva, é importante entender o modo e a velocidade com que os nutrientes são absorvidos pelas plantas. Há vários sistemas de monitoramento da concentração dos íons na solução nutritiva, incluindo aqueles totalmente automatizados, compostos por sensores (eletrodos específicos para íons) e computadores, com a função de registrar a concentração dos nutrientes e a necessidade de reposição deles. Esse monitoramento pode ser interessante, porém não é fundamental para a manutenção da solução adequada ao cultivo hidropônico. É muito comum observar a rápida absorção de um nutriente na solução em comparação aos demais e isto pode ser explicado em função das diferentes taxas de absorção destes elementos (entrada na planta), sendo a velocidade de absorção de N, P e K maior do que a dos outros nutrientes, o que pode levar ao rápido esgotamento deles e ao acúmulo de outros, especialmente S e Ca em uma solução sem reposição diária (Figura 39).

O conhecimento destas diferentes taxas com que o elemento é absorvido pode explicar por que, na análise de uma solução nutritiva, um nutriente pode estar praticamente ausente, enquanto outros ainda estão em concentrações adequadas para a cultura, mesmo que as plantas tenham crescimento exuberante e não apresentem deficiência do nutriente (CHANEY; COULOMBE, 1982). Também é importante destacar que, ao longo do ciclo de um cultivo hidropônico sem renovação da solução, os resultados de análises devem apresentar concentrações constantes dos nutrientes de absorção lenta (Figura 39 e Tabela 5), ao passo que, para os nutrientes de absorção rápida, as concentrações normalmente são baixas, mesmo com o ajuste diário da concentração da solução, podendo chegar a níveis não detectáveis, como é o caso do K.

A forma prática e utilizada pela maioria dos produtores em se estimar a concentração total dos nutrientes na solução é em função da medição da condutividade elétrica (CE) da solução nutritiva.

Formulação da Solução Nutritiva

Duas informações básicas devem ser consideradas para a formulação de uma solução nutritiva: a composição da solução, que é determinada pela relação entre as concentrações dos nutrientes no tecido da planta cultivada; e a concentração ideal da solução, que é estabelecida pela transpiração na fase de crescimento da planta. Assim, estes dados são obtidos, via de regra, em função de trabalhos desenvolvidos em Instituições de Pesquisa e, não ao nível de campo. Na prática, o produtor se adéqua ao uso destes dados gerados para que o cultivo se adeque as suas necessidades locais e regionais.

Outro meio que o produtor faz uso é utilizar referências bibliográficas que mostrem a demanda nutricional por cultura e, a partir da interpretação dos teores de nutrientes adequados para o crescimento e desenvolvimento, formula-se uma solução adequada à demanda específica da planta. Ao se proceder à análise das exigências nutricionais de plantas visando ao cultivo em solução nutritiva, devem ser enfocadas as relações entre os nutrientes, visto que é uma indicação da relação de extração do meio de crescimento. Assim, fica evidente que a oferta de “soluções nutritivas prontas para uso” por empresas privadas tem relação direta com anos de pesquisa e parcerias formalizadas entre estas empresas e órgão de pesquisa brasileira. Na Tabela 6 pode-se observar algumas destas soluções nutritivas comerciais e suas concentrações de nutrientes.

FAÇA A SUA ASSINATURA

Ou clique no link:

https://go.agriconline.com.br/pass/?sck=portal

Fonte

COMETTI, Nilton Nélio; GENUNCIO, Gláucio da Cruz; ZONTA, Everaldo. Hidroponia para Técnicos. 1ª ed. Brasília – DF: IFB, 2019.

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Murilo Salvador
Murilo Salvador
Técnico Agrícola com Habilitação em Agropecuária (IFES); Licenciado em Ciências Agrícolas (IFES) e Bacharelando em Medicina Veterinária (UNESC).

Veja mais