lake-constance-sheep-pasture-sheep-blue-158179
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Diagnóstico da Situação Atual da Propriedade

Confira o artigo sobre o diagnóstico da situação atual da propriedade, escrito por J. P. Souto.

Navegue pelo conteúdo

1. Introdução

No diagnóstico serão descritas as condições atuais em que se encontra a empresa rural. Inicialmente, deve-se avaliar a quantidade e a qualidade dos recursos disponíveis na propriedade, descrevendo e analisando seus estoques de capitais (natural, físico, humano e financeiro), processo produtivo e formas de comercialização.

Por fim, propõe-se dois ou mais cenários para a exploração econômica da propriedade, visando uma melhor utilização dos recursos e o incremento na produção e na produtividade, sempre procurando ter uma visão sistêmica do negócio, englobando o contexto geral da atividade rural.

O Diagnóstico deve conter:

a) Levantamento dos dados técnicos e financeiros da realidade atual da propriedade;

b) Localização geográfica da fazenda;

c) Descrição de acesso ao imóvel;

d)Descrição dos estoques de capitais natural, físico e humano;

e) Descrição do processo produtivo das atividades agropecuárias;

f) Comercialização da produção;

g) Sugestões iniciais de melhorias;

h) Previsão de investimentos;

i) Possibilidade de exploração econômica da propriedade.

2.1. Objetivo do Diagnóstico

O diagnóstico da propriedade deve apresentar uma análise detalhada das características técnicas e produtivas do imóvel rural.

A partir do levantamento de informações e dados é possível elaborar um estudo da situação recente do negócio rural, buscando apresentar alternativas gerenciais, técnicas e econômico-financeiras para a otimização de uso da propriedade.

2.2. Levantamento dos Dados Técnicos e Financeiros da Propriedade

Essa primeira etapa é extremamente importante, pois é a partir dessa base de dados que trará as informações que serão as premissas do planejamento estratégico e orçamentário da propriedade. Esse levantamento é feito a partir do histórico de documentos e informações físicas e eletrônicas da propriedade.

Nessa etapa deverão ser coletados dados referentes:

a) Financeiro

a. Investimentos e custos das últimas safras e/ou ano fiscal por centro de custo (RH, Pecuária, Agricultura, Despesas Operacionais, Despesas Administrativas, Investimentos, etc.)

b. Receitas agropecuárias e financeiras das últimas safras e/ou ano fiscal

b) Técnicos

a. Rebanho inicial e final no ano safra e/ou ano fiscal da propriedade separado por categorias;

b. Peso médio inicial de final das categorias por ano safra e/ou ano fiscal;

c. Compras, vendas, nascimentos, mortes, transferências de entrada e saída;

d. Manejo nutricional, sanitário, reprodutivo, de pastagem;

e. Controle de movimentação de lotes e chuvas e temperaturas.

2.3. Descrição de Acesso ao Imóvel Rural e Croqui

Partindo de um referencial conhecido, como a área urbana do município, por exemplo, descreva o caminho a ser percorrido até a propriedade, buscando acrescentar detalhes que possibilitem uma adequada e eficiente orientação a alguém que realizará o trajeto pela primeira vez.

Se possível, apresente a rota a ser percorrida em um mapa, para facilitar a visualização e o entendimento.

A localização da propriedade nos permite conhecer o microclima da região dando base para o planejamento forrageiro e entender as características comerciais de onde a fazenda está inserida (canais de compra e venda).

A delimitação das áreas limítrofes (croqui) facilita a ter uma visão sistêmica da propriedade e localização de pontos estratégicos como curral, rios, lagoas, áreas declivosas, etc.

2.4. Descrição dos Estoques de Capitais

2.4.1. Estoque de capital natural

Descreva com detalhes toda a propriedade rural, com tamanhos e localização da área total, área útil, APPs (Áreas de Preservação Permanente) e RLs (Áreas de Reserva Legal). Se possível, inclua o Cadastro Ambiental Rural (CAR) da propriedade.

Descreva a composição de uso das áreas úteis da propriedade (agricultura, pecuária, ILP (integração lavoura-pecuária), ILPF (integração lavoura-pecuária-floresta), incluindo os tamanhos de cada uma.

Descreva cada módulo (rotacional) que compõe a área de pasto da propriedade, identificando número de áreas (piquetes) presentes, espécie(s) forrageira(s), acesso à água por parte dos animais, qualidade e oferta de pasto, estado do solo (presença de erosão, etc.), condições da infraestrutura presente, como cochos, cercas e praças de alimentação, entre outras informações que julgar importantes ao planejamento da atividade.

2.4.2. Estoque de Capital Físico

Descreva toda a infraestrutura presente na propriedade, sobretudo os bens utilizados direta ou indiretamente no processo produtivo. O estoque de capital físico é composto pela infraestrutura de produção, pelos veículos e maquinário da fazenda, além do estoque de animais de produção e de trabalho.

Infraestrutura de produção: corresponde às construções e benfeitorias existentes nos imóveis rurais, necessárias ao processo produtivo, de forma direta ou indireta.

Veículos, máquinas, equipamentos e implementos: maquinário presente na propriedade e necessários ao processo produtivo, de forma direta ou indireta.

Estoque de animais de produção: apropriação monetária, a preços de mercado, do estoque de animais da propriedade.

Para a infraestrutura de produção, descreva o tipo de instalação (barracão, casa, mangueira, etc.), a localização da instalação dentro da propriedade e o estado de conservação.

Para o maquinário, descreva o tipo, marca, modelo, ano e estado de conservação. Para o estoque de animais, descreva a categoria, a quantidade e o valor atual de mercado do rebanho. A apresentação do capital físico pode ser feita de maneira descritiva ou resumidas em quadros ou tabelas.

2.4.3. Estoque de Capital Humano

Descreva a quantidade de colaboradores presentes na propriedade, separando-os em mão de obra permanente, mão de obra temporária. Informe o setor e o cargo de cada colaborador.

Apresente o salário atual recebido por cada colaborador e os valores retirados pelo proprietário na forma de pró-labore, se houver. Apresente os encargos trabalhistas recolhidos pelo proprietário

Exponha um organograma hierárquico da empresa rural, apresentando a posição de cada colaborador dentro da matriz produtiva da propriedade.

Descreva a percepção da alta direção do empreendimento para a gestão com base em indicadores de desempenho (financeiros, econômicos, zootécnicos).

2.5. Descrição do Processo Produtivo

Exponha nesta etapa as informações acerca dos processos empregados na produção agropecuária da propriedade, detalhando informações como tipo de produção e de manejo adotados em cada uma das etapas do processo produtivo, e relatando os pontos fortes e fracos de cada manejo adotado.

Descreva a frequência de coleta dos dados e a forma como são realizadas as anotações, digitações e tratamentos das informações.

Determine os indicadores zootécnicos que retratem a produtividade da pecuária e estabeleça sua relação com a lucratividade do empreendimento.

Descreva as fórmulas dos indicadores zootécnicos e informe se os cálculos são realizados em caderno de campo, planilha, aplicativo e/ou software de controle.

Manejo produtivo: descreva os aspectos gerais do manejo produtivo adotado na propriedade. Apresente o sistema de produção adotado, categorias de animais presentes, formas de identificação (brincos, marcas, dispositivos eletrônicos), periodicidade de pesagem dos animais.

Manejo reprodutivo: nos casos em que a propriedade trabalhe com reprodução, vendendo bezerros e/ou genética, descreva o manejo reprodutivo adotado. Exponha informações a respeito dos lotes de matrizes e de touros, estação de monta, tipo de reprodução (monta natural, IA, IATF, etc.), manejo de bezerros neonatos, entre outras.

Manejo sanitário: elabore uma tabela contendo o calendário de vacinação na forma como é feito na propriedade. Informe os medicamentos utilizados e as enfermidades consideradas no manejo.

Manejo alimentar e nutricional: destaque se há separação dos animais em lotes por peso e idade, os tipos de alimentos fornecidos a cada categoria e em cada época do ano, a forma como cada alimento é fornecido (fracionado, à vontade), profissional responsável pela elaboração da dieta, se a propriedade utiliza estratégias de confinamento, suplementação por períodos, etc.

Manejo de pastagens: relate a técnica utilizada na identificação da altura do pasto (visual, régua, medidor eletrônico, etc.) e indique o tipo de pastejo adotado (contínuo, rotacionado, etc.).

Procure traçar uma relação entre o manejo de pastagem realizado e a espécie forrageira presente, verificando se a forma com que é realizado o manejo dos lotes entre áreas está de acordo com o preconizado, visando a perpetuação da qualidade e da quantidade de forragem disponível.

Compra de insumos: informe como é feita a compra de insumos (alimentos, medicamentos, etc.). Se a fazenda trabalha com recria e engorda, por exemplo, uma possibilidade é considerar o bezerro a ser adquirido como um insumo dentro do processo produtivo.

Agricultura e floresta: se a propriedade também desenvolve a produção agrícola e/ou florestal, descreva o processo de produção, desde a aquisição de insumos, culturas utilizadas, se a produção é para a geração de receita com agricultura, como estratégia de reforma de pastagens ou destinada à produção de alimento para o gado, etc. Procure expor indicadores de produção e produtividade.

2.6. Controle e Gestão financeira

Relate como é feito o controle financeiro da empresa rural. Descreva se a propriedade utiliza um escritório de contabilidade terceiro ou se a contabilidade da empresa é feita por profissional(is) da própria empresa rural.

Informe o nível de detalhamento e de confiabilidade das informações financeiras da propriedade. Descreva como é feito controle de contas a pagar e a receber. Descreva como é realizado o fluxo de caixa da atividade.

2.7. Comercialização da Produção

Descreva como é feita a comercialização dos produtos da atividade agropecuária. Informe quais os destinatários (frigoríficos, outras propriedades, cooperativas, etc.) dos produtos. Relate os acordos, contratos de comercialização e se o proprietário trabalha com bolsas de mercado futuro.

Informe se a venda é feita sazonalmente ou durante todo o ano. Informe as médias de valores negociados. Relate se a propriedade tem capacidade de armazenamento e estocagem de produtos agrícolas.

Relate se a produção agrícola é toda destinada à venda ou se parte é utilizada dentro da propriedade. Descreva outras particularidades a respeito da comercialização da produção na propriedade, quanto à agregação de valor por programas de qualidade e/ou certificação, por exemplo.

2.8. Sugestões Iniciais de Melhorias

Nesse item é aonde iniciam-se os processos de melhoria na fazenda. São apresentadas sugestões técnicas e financeiras a partir das informações levantadas no diagnóstico. Essas sugestões podem ser divididas nos seguintes tópicos:

a) Sugestões gerais;

b) Orçamento anual;

c) Comercialização de animais e produtos;

d) Controle técnico e financeiro;

e) Produção de forragens conservadas;

f) Melhoria no manejo de pastagens;

g) Estratégias gerais de suplementação;

h) Recursos humanos.

Com base no que foi relatado anteriormente a respeito da situação atual da propriedade, aponte sugestões que apresentem um enfoque prático, rentável e eficiente dos pontos em que foram considerados os maiores gargalos da propriedade.

Podem ser feitas sugestões sobre controle financeiro, gestão de pessoas, processo de compra de insumos, formas alternativas de comercialização da produção, melhorias no processo produtivo como um todo, adequação de algum manejo específico, elaboração de calendário sanitário, planejamento forrageiro, entre outros pontos.

Faça a sugestão de cronograma de realização das ações propostas, com base na priorização técnica da proposta de melhoria.

2.9. Possibilidades de Exploração Econômica das Propriedades

Apresente pelo menos dois cenários. O primeiro deve se referir à continuidade do atual modelo de produção, enquanto no segundo expõe-se uma alternativa mais rentável ao modelo atualmente adotado, que se acredita ser exequível de implantação, com vistas à geração de retorno e caixa para o negócio.

Determine o horizonte de projeção dos cenários, para 5 ou 10 anos. Elabore a evolução de rebanho durante o período escolhido para a projeção. Apresente os indicadores utilizados para estimativas de custos e receitas e os indicadores zootécnicos considerados para a elaboração dos cenários.

Faça uma estimativa de resultados anuais para o período projetado. Faça a análise do fluxo de caixa projetado. Determine os indicadores econômicos e financeiros (receita, lucro, rentabilidade, lucratividade, margem de contribuição, etc.) considerados para a análise dos cenários.

Deve-se focar a projeção dos cenários na melhoria do sistema produtivo agrícola e pecuário, aperfeiçoando os índices e a produtividade das atividades. Demonstre uma relação viável entre aumento da produção e o retorno do investimento na proposta.

Após a realização das análises dos resultados, indique o melhor cenário obtido, que é o que deverá ser sugerido ao proprietário. Apresente as ações que devem ser tomadas para se alcançar os resultados propostos, descrevendo as recomendações em etapas, de maneira a facilitar a execução pelo proprietário.

Estabeleça indicadores de acompanhamento e os respectivos responsáveis pela execução das atividades.

Primeiramente deve-se elaborar o cenário atual da propriedade como indicadores zootécnicos, desembolsos e receitas atuais. A partir dessa constatação pode-se elaborar cenários de melhorias nos indicadores, redução de custos, aumento de receitas, aumento de lotação, aumento no número de matrizes, etc. Para correta elaboração dos cenários deve-se fazer evolução do rebanho e estimativas de resultados com fluxo de caixa com planejamento de 3, 5 e 10 anos.

Depois da elaboração dos cenários pode-se comparar através de indicadores financeiros-econômicos qual é o mais viável e apresenta maior retorno.

A comparação entre cenários deve levar em conta, não somente o resultado financeiro, mas também a capacidade operacional da alternativa escolhida, ponderando a necessidade técnica do cenário escolhido.

2.10. Previsão de Investimentos

Relate a necessidade de investimentos em máquinas, implementos, equipamentos, benfeitorias e reformas a serem realizadas. Ateste se esses investimentos visam a redução de custos, otimização da logística e recursos no manejo do gado no médio e longo prazo.

Além de investimentos para aquisição de bens, faça também uma provisão de dispêndios com reformas, manutenções e adequações de instalações.

Realize uma previsão para investimentos em implantação, reforma e manutenção de pastagens e correção de solo. A previsão de investimentos pode ser feita de maneira descritiva ou com o uso de tabelas e quadros contendo a descrição do item, valor unitário e valor total do investimento e cronograma.

FAÇA A SUA ASSINATURA

Ou clique no link:

https://go.agriconline.com.br/pass/?sck=portal

Fonte

SOUTO, J. P. Gestão e Gerenciamento Rural: O Olhar do Futuro Para a Propriedade Rural de Hoje. 1 ed. Taquarituba – SP: 2019.

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Murilo Salvador
Murilo Salvador
Técnico Agrícola com Habilitação em Agropecuária (IFES); Licenciado em Ciências Agrícolas (IFES) e Bacharelando em Medicina Veterinária (UNESC).