o-uso-da-vagina-artificial-na-coleta-de-semen-equino
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin

Mecanismo Biológico da Reprodução de Equinos

Confira o artigo sobre o mecanismo biológico da reprodução de equinos, escrito por Antonio Emídio Dias Feliciano Silva.

Navegue pelo conteúdo

A atividade sexual nos equinos é iniciada e mantida por diferentes fatores, como hormonais, nutricionais e genéticos, podendo, ser caracterizada por fenômenos como: puberdade, ciclo estral, ovulação, gestação, parto e lactação nas fêmeas, e a produção de espermatozoides, capacidade de cobrir e fecundar nos machos.

A produção de células germinativas, tanto na fêmea como no macho, se dá por meio de mecanismos.

Que ocorrem inicialmente no complexo hipófise-glândula pituitária, onde, sob a influência de fatores estimulantes ou inibidores como alimentação, calor, luz, trauma físico, dor e presença do macho, há secreção do hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH), o qual provoca a liberação dos hormônios folículo estimulante (FSH) e luteinizante (LH), que atuam diretamente nos ovários e testículos.

O hormônio FSH, nas fêmeas, é responsável pelo crescimento dos folículos ovarianos, e nos machos pelo estabelecimento da diferenciação dos espermatozoides nos túbulos seminíferos dos testículos.

O hormônio LH, nas fêmeas, proporciona a maturação final do folículo pré-ovulatório, a indução da ovulação, e o início da formação dos corpos lúteos (primário e secundário). Os corpos lúteos produzem progesterona até o 14º ao 15º dia pós-ovulação, com pico no 6º dia.

Nos machos, o hormônio LH induz a síntese de andrógenos (testosterona e deidrotestosterona) pelas células de Leydig, estimulando a espermatogênese, formação de espermatoz6ides, pelas células de Sertoli.

Após a cobertura ou inseminação, os espermatozoides são transportados, pelo útero, até a junção útero-tubárica-istmo, onde se potencializam para encontrar o ovócito, realizar a fusão, finalizando com a fecundação e a formação do zigoto.

No início da gestação, o zigoto entra no útero e é envolvido por uma cápsula de função imunoprotetora, antiluteínica, e após 20 a 21 dias, inicia-se o processo de estabelecimento da placentação alanto-coriônica.

O mecanismo biológico da reprodução de equinos está esquematizado na Figura 1.

FAÇA A SUA ASSINATURA

Ou clique no link:

https://go.agriconline.com.br/pass/?sck=portal

Fonte

SILVA, Antonio Emídio Dias Feliciano; UNANIAN, Maria Marina; ESTEVES, Sérgio Novita. Criação de Equinos: Manejo Reprodutivo e da Alimentação. 1ª ed. Brasília – DF: Embrapa, 1998.

Compartilhe!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
Share on twitter
Share on linkedin
Murilo Salvador
Murilo Salvador
Técnico Agrícola com Habilitação em Agropecuária (IFES); Licenciado em Ciências Agrícolas (IFES) e Bacharelando em Medicina Veterinária (UNESC).